"Prémio sai meia de Educação Cívica para o Senhor Professor"


Na sequência de "posts" anteriores, aqui deixo mais um "Prémio" relativo ao problema do T&E nesta cidade. Também este se encontra no site da Câmara desde 6 de Janeiro.




Posted by Picasa

"Prémio encomendámos 6421 há 10 anos e só nos mandaram 1"




Coloquei esta fotografia com o mesmo título (registada numa rua do centro desta cidade), no "site" da Câmara Municipal, no dia 3 de Janeiro deste ano.
Devo realçar que os automobilistas cumprem escrupulosamente a regra que se lhes impõe, não estacionando na rua.


Posted by Picasa

Crónica de uma morte (lenta) anunciada

Um intervalo nesta viagem histórica pelas ruas de Torres Vedras para mostrar como é tratado o cidadão quando não está com o assento colado no banco  do seu automóvel.
Esta cidade tem bandeiras içadas no edifício da Câmara Municipal como prémios por aquilo que tem feito em benefício da mobilidade (!) e este é apenas um exemplo.
Coloquei esta sequência fotográfica no "site" da CMTV" no dia 11Jan2010
Veja aqui

Viva Handel!

14ª história - Praça Gulbenkian



Uma das Praças mais conhecidas da cidade e das mais movimentadas é palco diário dos maiores atropelos ao T&E e à circulação pedonal. A Poente, uma rotunda (do hospital), a Nascente, a rotunda da Henriques Nogueira, como é conhecida, a qual, ao fim de mais de dois anos com blocos de cimento, surgiu com novo visual. Anteriormente era um cruzamento que cumpria cabalmente a sua função.
Entre uma e outra há duas vias de circulação em cada sentido, perfeitamente definidas. Na via direita ascendente existe uma paragem dee TUT e uma paragem de autocarros interurbanos perfeitamente assinaladas. Cumulativamente proibe~se nessa mesma zona a paragem e estacionamente de veículos pesados (!), excepto autocarros.

Sucede que são raríssimos os automobilistas que utilizam essa via, quer haja quer não haja veículos nela estacionados, supondo, que se trata de via bus.
Os engarrafamentos de trânsito na rotunda do hospital têm aqui a principal razão. Se a isto se acrescentar o estrangulamento (tipo ampulheta) na rotunda da Henriques Nogueira (situação que não se verificava quando era cruzamento) teremos o filme completo da confusão diária.
As fotos acima são elucidativas. Até a PSP colabora...









13ª História - Rua Princesa Benedita



Como se sabe, esta rua tem dois sentidos ainda que não pareça. Tal se deve, em parte, à apregoada educação cívica dos pais das crianças da Escola ali situada e à permissividade da PSP mais preocupada no controlo dos parcómetros. Tudo isto se passa junto à C.M.!

Antes de fechar, uma outra curiosidade, não sobre este tema, mas relativamente à Mobilidade, tema que a edilidade muito presa: mesmo em frente do edifício da C.M. existe um moderno prédio cuja principal entrada dista da rua 16 degraus 16. É certo que existem mais duas entradas, uma à direita, de esquina, com 6 degraus e outra no extremo do alçado Sulde nível, bem longe da principal. Certamente com licenciamento legal, não deixa de ser aberrante.

          

12ª história . Rua Henriques Nogueira

Posted by Picasa


Para oferecer mais lugares de estacionamento, a C.M. alterou a forma de estacionamento numa parte da rua: de longitudinal passou a transversal. Marcaram-se os lugares em conformidade mas não se aproveitou a ocasião para impedir as segundas filas, o que facilmente se conseguiria se os lugares tivessem ficado com dimensões adequadas a veículos normais, cortando à frente o que sobra atrás.
A fotografia mostra o espectáculo diário.
Esta situação, como a da rua vizinha, Santos Bernardes, é definidora de quanto errado é, em minha opinião, o conceito de estacionamento que deve ser adoptado nos tempos que correm. Dizem os nossos governantes que sempre que são criadas zonas de estacionamento pago, se facultam outras não pagas, por perto.
Tal conceito leva a que o automobilista se desloque para essas zonas à procura do estacionamento não pago, optando depois por zonas pagas ou então pelas segundas filas, se for possível.
Para quem se queixa que são aos milhares os carros que diariamente percorrem a cidade, não está mal.