AS AGOSTINHAS




Desde que ando por aqui, e já lá vão quase dez anos, não têm conta as vezes que os membros da Autarquia responsabilizam os automobilistas pela sempre agravada situação do T&E.
Coitado do civismo que tanta pancada tem levado e que continua a ser o álibi para esta fatalidade.
Mas as bicicletas de partilha já cá estão e os torrienses e os turistas até podem utilizá-las para subir ao Castelo nas eléctricas, que também as há. Mas isto só vai acontecer em Junho. Entretanto o Vereador Carlos Bernardes foi adiantando, através da imprensa local, que não tem de haver espaços exclusivamente dedicados à bicicleta, na sequência daquilo que o Presidente já havia dito  no site da C.M.: hoje, o convívio do peão e da bicicleta no mesmo espaço é aceite e recomendável e é para aí que temos que caminhar. E mais disse o Vereador  que a Autarquia vai apostar em campanhas de sensibilização…
Estou inteiramente solidário com tais opiniões e intenções, mas confuso quanto aos propósitos já assumidos pela C.M.relativamente à criação das cinco Ciclovias a que a Revista de Nov/Dez de 2011  da Autarquia se referia, em texto acompanhado de curiosas fotografias.  São elas a “Linha da História” (apadrinhada por João Roque), a “Linha Verde” com Leonel Miranda como padrinho, a “Circular Joaquim Agostinho”, esta com Ana Agostinho como madrinha, “A Linha da Água”(apadrinhada por Francisco Miranda) e a “Linha do Comércio” com Jorge Silva como padrinho. Com isto se pretende, no dizer do articulista “criar uma nova cultura (!!!) de mobilidade”
Entretanto, e enquanto se aguarda por Junho, os torrienses, os estudantes e os turistas vão continuar a desfrutar da desoladora paisagem que a denominada Ciclovia das Escolas lhes oferece e a interrogar-se (não todos evidentemente) se as ditas que se anunciam são mesmo para cumprir ou se não seria melhor descartá-las.
Será bom ter presente que as “Agostinhas” serão obrigadas a circular pelas Ciclovias. Imagine-se o espectáculo nos passeios da Henriques Nogueira, no espaço (...) reservado aos ciclistas. A menos que a Autarquia acabe também com esta "coisa" a que a C.M. chama de Ciclovia das Escolas e que só serviu para ser inaugurada numa cerimónia muito parecida com a que a foto acima ilustra.