Circulando, de novo, pela cidade

Há muito tempo que não venho aqui ao blogue.  Volto agora com o propósito de continuar a referir-me ao tema do T&E, (e não só), assunto que preso e que também representa a maior preocupação do Presidente.
O Regulamento de Trânsito de 2009, cuja entrada em funcionamento “na íntegra” se prevê para fim de Março corrente, tem sido bastante discutido na imprensa da cidade e noutras instâncias. Também o Forum do site da Câmara  a ele se tem referido.
Os dois textos que seguem foram nele publicados.
 O primeiro , em Dezembro de 2013, por altura do anúncio do alargamento da zona de parquímetros .
 O segundo,  a propósito do Parque de estacionamento da Câmara Municipal.


"Uma multa de trânsito não é um acto de justiça, é sinal de pouca sorte”

Fui ontem, de manhã, dia 12 de Dezembro,  ao centro da cidade para fazer umas compras  numa loja do “Comércio tradicional”. À porta do estabelecimento  estavam estacionados os carros do(a) comerciante e o de um(a) empregado(a). Não havia nenhum lugar vago em toda a rua. Como só me interessava aquele estabelecimento, voltei à tarde. Constatando que os “residentes”  ainda lá estavam e que continuava a não haver nenhum lugar vago,  segui, com muita pena,  para o Arena Shoping, estacionei  gratuitamente num dos pisos e fiz a minha compra.
Isto não aconteceu mas podia ter acontecido.
Deixo aqui uma pequena amostragem de entradas de automóveis na cidade, em Fevereiro de 2008, num período compreendido entre as 09.00h e as 10.30h
Ontem como hoje, a maioria destes carros ocupa a cidade, oferecendo um deplorável e lamentável espectáculo
Trata-se de uma situação que nunca vi denunciada pelas chamadas forças vivas desta cidade, nomeadamente Associações, partidos políticos, grupos organizados de cidadãos, etc, etc
A festança é diária e tudo corre sobre rodas!  Calmamente…
Isto foi (e continua a ser) Torres Vedras, cidade onde valem (e se consentem) todas as espécies de tropelias e irregularidades  perpetradas por cidadãos  que me abstenho de qualificar.
Diz Manuel João Ramos no livro “Sinais do Trânsito”, que “hoje uma multa de trânsito não é um acto de justiça, é sinal de pouca sorte”. Transgredir quer dizer “ter o azar de ser apanhado por um polícia…” E diz mais: “Tanto faz cumprir uma regra como não. Os sinais de proibição ou obrigação já não são portadores de informação pertinente- não exigem, sugerem…os polícias deixaram de perceber a sua missão…agem como cidadãos … em vez de policiar, interpretam (como os condutores) as regras. Tanto faz multar como não”
 Os torrienses auto-mobilizados têm sido, ao longo dos anos, esses sortudos e já deram por adquirido esse estatuto quando utilizam discricionariamente os espaços à sua volta. Por isso sentem agora o tapete a fugir-lhes debaixo dos pés e começam a derrapar.
Avançam com medidas de um provincianismo pacóvio ( para uma cidade cujo centro cabe num quarteirão da baixa  de Lisboa), como seja a criação de escalões e  oferecem  um dia de estacionamento para quem, p.e., compre um par de sapatos,  ou duas horas para beber umas bejecas!!!   É isso?


Este parque não é para todos

Contrariando a minha determinação de deixar de frequentar este  parque público do edifício da C.M., face às limitações que são impostas aos utilizadores, avalizadas, aliás, pelo seu Presidente), a ele voltei.  Recorri ao elevador para sair (ao arrepio da norma imposta ) , face às reclamações das minhas artroses e outras maleitas.
Cheguei ao átrio deserto às 17.30, os serviços já estavam encerrados e a porta para o exterior estava fechada. Fui informado pela empregada de limpeza que, para sair para o exterior  teria que voltar ao parque ou então utilizar um corredor dos serviços (!), o que fiz. Se  fosse um utilizador esporádico teria lamentado e  aceite de bom grado a informação de  que a “saída para a avenida 5 de Outubro  estava  temporariamente fóra de serviço”, mas como não sou, continuo a dizer que se trata de um completo desaforo uma vez que NUNCA funcionou.
Para os utilizadores desprevenidos  aqui deixo algumas informações úteis sobre este parque público:
Abre às 08h e fecha às 20h;
Ao sábado fecha às 14h;
Sai-se para o exterior por escadas de 49 ou 52 degraus, conforme o piso;
 O elevador funciona de acordo  com o horário da C.M.. até às 17.30h durante a semana;
Ao sábado não há;
O horário nas placas "Elevadores - Câmara Municipal 08.30-19.00" está, consequentemente, errado;
Veja-se a foto: