Instantes de uma Assembleia Municipal em Torres Vedras


Dia 20 de Junho de 2014

Um Presidente de Assembleia Municipal de alto gabarito.

Uma Torres Vedras/Antes Parque Verde (APV),
Uma Torres Vedras/Depois Parque Verde (DPV).

Uma obra por todos apreciada,
onde não faltaram os habituais treinadores de bancada.

Cidade que se diz
ter a terceira maior feira generalista do País.

Festa de torrienses e limítrofes
em identificação indiferenciada e transversal
mais patente  na feira que no Carnaval mais português de Portugal.

Cidade onde se anda cada vez mais a pé em qualquer idade,
Não tardando que do Parque Verde
passando pelo Choupal
se possa dar a volta à cidade.

Cidade que não tem vitrinistas mas vai ter,
Que não tem pessoal para a biblioteca e não vai ter.

Que  tem rotundas que servem mais para circular
que enfeitar.

Moções que não o são,
Propostas que também não.
Um P.A.M paciente e pasmado
com a ignorância,
Um P.C.M. intranquilo e exaltado
com a falta de inteligência.

O Carnaval de Torres Vedras, o mais português de Portugal
a trocar o passo às marchas de Sto Antônio,
As marchas mais portuguesas de Portugal

E eu, depois de tudo isto, a lembrar-me do Pessoa:

 
http://arquivopessoa.net/typographia/textos/arquivopessoa-2978.pdf













Sem comentários:

Enviar um comentário