Parabéns a Claude Lelouch

Recordo aqui, por ocasião do seu aniversário, o filme "Um homem e uma mulher" de Claude Lelouch, cineasta da "Nouvelle Vague", o qual tanto êxito teve na altura da sua estreia em 1966. Ficou famosa a sequência final num travelling circular que aqui trago:

Completo com uma breve referência a este movimento, cujos cineastas mais relevantes são Jean-Luc Godard, François Truffaut, Alain Resnais, Jacques Rivette, Claude Chabrol, Eric Rohmer e Agnès Varda, muitos deles ligados, como críticos à revista "Cahiers du Cinema".

"As características mais marcantes deste estilo são a intransigência com os moldes narrativos do cinema estabelecido, através do amoralismo, próprio desta geração, presente nos diálogos e em uma montagem inesperada, original, sem concessões à linearidade narrativa. Os autores desta nova forma de filmar detestavam muitos dos grandes sucessos caseiros do cinema francês"

Nos Estados Unidos, e não só, fez-se notar a influência deste movimento, nomeadamente nos filmes de Francis Ford Coppola, Brian De Palma, Martin Scorsese e George Lucas, renderam homenagem à vaga que começou a frutificar com o Bonnie and Clyde de Arthur Penn.


Sem comentários:

Enviar um comentário